POESIA DE ALEXANDRE FERREIRA

Aluguei esta casinha pequenina sem telhado e sem paredes... toda ela uma janela aberta ao mundo. Cada visitante que aqui vem, ao sair não se esqueça de levar o meu muito obigado, o meu abraço o meu beijo ......O meu C A R I N H O

domingo, novembro 08, 2009

PEDRAS DA CALÇADA





Cada pedra da calçada que eu piso

Tem uma história para me contar
Uma Fala do menino sem sorriso
Que ali esteve sentado a chorar

Imagino o que ela quer dizer
Fala-me que um dia sem aviso
Desamores possam acontecer

Uma mais negra ali a meu lado
Se destacava sem o reconhecer
Imaginei seu nome! Tristeza...
Simbolo dos que chegam a sofrer

Tem uma história para nos contar
Outra fala de crianças indecisas
Que nem sabiam qual pedra a pisar

Descobri uma delas com uma lagrima
Perguntei como é que podia ser
Uma pedra da calçada nunca chora
Vive calada e em silencio ate morrer

Afinal a lágrima não era dela
Foi alguém que a deixou ali cair
Enquanto contava sua mágua
Aquela pedra que parecia sorrir

Acordei despertando do pesadelo
Descobri que perder não é o fim
Essas sabias perdras da calçada
Estiveram sempre falando de mim.

A.F.



alex13:10 03-05-2007

  Cada pedra da calçada que pisamos
A seguinte fala-me entre-linhas

0 Comments:

Enviar um comentário

SE TE AGRADA ALGUM POEMA MEU, ENTÃO DEIXA UM COMENTARIO TEU...

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

CITADO POR ISABEL