POESIA DE ALEXANDRE FERREIRA

Aluguei esta casinha pequenina sem telhado e sem paredes... toda ela uma janela aberta ao mundo. Cada visitante que aqui vem, ao sair não se esqueça de levar o meu muito obigado, o meu abraço o meu beijo ......O meu C A R I N H O

sábado, novembro 29, 2008

CANTO DE SEREIA


Ao som de um Ave-Maria
Cantado por Angela Gheorghiu
Deixo o lirico da mente cantar.
Multiplos sentimentos se misturam
Até que um, sempre se adianta.
Como um acorde desafinado e saliente
Agride a mente que atenta,
Escuta o som calmo, voz lindissma...
Fecho os olhos, entro no lago de cisnes
Pairo no ar com aquele som, e embalo-me
Não canta de corpos feitos estrumeira
Nem de fadas encantadas mentirosas
Não fala de misturas de semen perdido
dentro de corpos vadios. Podres até!
Suspiro fundo e entro de novo na doce voz
Esqueci lágrimas que me correm sem cessar
Caiem e criam aquele lago meu, feito encanto
Onde tu es cisne, a fada serei eu! E amentira?
Canta sereia canta, encanta que eu te escuto
Adoça meu azedo coração que grita sem rancor
Canta sereia canta, as fadas vivem, morra o amor?
Não, não e não, vamos ser positivos e sem dor...
Canta sereia canta, morram as fadas, viva o amor.


Autor Alexandre Ferreira
21.12.07

0 Comments:

Enviar um comentário

SE TE AGRADA ALGUM POEMA MEU, ENTÃO DEIXA UM COMENTARIO TEU...

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

CITADO POR ISABEL