POESIA DE ALEXANDRE FERREIRA

Aluguei esta casinha pequenina sem telhado e sem paredes... toda ela uma janela aberta ao mundo. Cada visitante que aqui vem, ao sair não se esqueça de levar o meu muito obigado, o meu abraço o meu beijo ......O meu C A R I N H O

quinta-feira, julho 25, 2013

OH VIDA DE CÂO



Mora aqui a certeza
De um povo empobrecido
Governado por políticos
Que nos sarnam o juízo



Decidem tudo na calada

Fazem leis sem questionar
Coadopção foi permitido
Sem seu povo perguntar



A adopção de uma criança

Não é nenhuma brincadeira
Ser educado só por homens!
Fica marcada a vida inteira

Na pré-escola já começa
Crianças podem ser cruéis
Se respondem às perguntas
Que são filhos de dois pais



Depois existe a questão

Porquê a desigualdade?
Se a casais hetero é não!
E para o homo, facilidade



Isto é algo que me perturba

E não consigo compreender
Pelo andar da carruagem?
Que mais nos irá acontecer?



Toda a vida foram oprimidos

Mal entendidos e julgados
Agora auferem de igualdade
Tornaram-se mais arrojados!



Já não tem de se esconder

Pelos vistos isso não basta
Depois de milhares de anos
Foi permitido uma nova casta.



É a ciência moderna

Mas o caso não é para rir
Pelo andar da carruagem
Até os homens vão parir



A.F.

25/07/2013

0 Comments:

Enviar um comentário

SE TE AGRADA ALGUM POEMA MEU, ENTÃO DEIXA UM COMENTARIO TEU...

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

CITADO POR ISABEL