POESIA DE ALEXANDRE FERREIRA

Aluguei esta casinha pequenina sem telhado e sem paredes... toda ela uma janela aberta ao mundo. Cada visitante que aqui vem, ao sair não se esqueça de levar o meu muito obigado, o meu abraço o meu beijo ......O meu C A R I N H O

quinta-feira, novembro 10, 2011

LIVE




 Olá
Acabei de me sentar aqui
Vim para saber se cá estiveste
Vim cá porque senti saudades
Por tantos motivos eu podia vir cá!
Mas vim por ti, por tu que me lês...
Talvez tenha vindo para agradecer
Ou será que é a saudade de escrever?
Francamente não sei.
Ao certo nunca o vou saber
Mas vim para me reler e li.
Obrigado a mim mesmo 

 Apetece-me inventar palavras
Ocorre-me algo que vi hoje
Enquanto almoçava, eu vi
Olhei pela janela e chovia
Mas um coração de rosa!
Sim, um resistiu à chuva
Então pensei; 
 A minha rosa de Inverno
Que no verão desabrochou
Passou o Outono a esperar
Pela Primavera que passou.
 Voltei ao meu trabalho a pensar
Será que me vou esquecer?
Do que me ocorreu ao almoço
E não fui logo escrever...
 Assim sou eu, imperfeito!
Com a veia poeta a arder
Há procura de algo diferente
Com que me possa surpreender.
 Um abraço 


2 Comments:

Blogger saisminerais said...

Á svezes até consigo...

segunda jul 23, 06:12:00 da tarde WEST  
Blogger saisminerais said...

o tempo aliza as palavras, mas nao a memoria. ca dentro, tudo todo o sentimento se acumula amadurecendo e produzindo novas razoes para escrever.

quarta set 02, 10:10:00 da manhã WEST  

Enviar um comentário

SE TE AGRADA ALGUM POEMA MEU, ENTÃO DEIXA UM COMENTARIO TEU...

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

CITADO POR ISABEL