POESIA DE ALEXANDRE FERREIRA

Aluguei esta casinha pequenina sem telhado e sem paredes... toda ela uma janela aberta ao mundo. Cada visitante que aqui vem, ao sair não se esqueça de levar o meu muito obigado, o meu abraço o meu beijo ......O meu C A R I N H O

sábado, abril 08, 2006

foto tirada da net
É no lamento que revivo
a saudade dos dias findos.
Morte aos amores esquecidos
onde fontes repugnam olhares
impunes a actos de mal amados.
Condeno a facada que no inerte
corpo vislumbro, existe sangue
nas costas do defundo que jaz!
A gargalhada entoa nas paredes
do meu cervo, rompe tímpanos
afáveis a questões amorosas que
traduz o azedo na boca da lamúria
e tu diabo! Não convences anjos
nem descrentes. De nada te serve
a recolha de gotas do desespero
é no fontanário da vida que vivo
que me alimento da desgraça alheia
impávido e sereno sigo o meu rumo
não deixando que tu morte malvada
me entraves o caminho, me julgues
fraquezas descobertas por ti, diabo.
Pobre diabo, pobre intruso, pobre mente

Autor: Alexandre Ferreira

6 Comments:

Blogger Arrebenta said...

A Rainha da Sucata


Andam por aí umas vozes em sobressalto com o que se escreve na Net, e, à cabeça, com a crescente influência das temáticas, abordadas nos “blogues”, sobre a Opinião Pública Nacional. Cumpre-me aqui dizer que sou novo nos “blogues”, e suficientemente antigo, na Opinião Pública. E como me estou, à cabeça, aparentemente – depois, verão que não... – zenitalmente borrifando para os “blogues”, vou, pois, começar pela Opinião Pública.

Ora, em qualquer país pretendido civilizado, a Opinião Pública não é mais do que um misto de emoção e raciocínio difuso, que leva a que as sociedades exerçam, em conjunto, as suas auto-análises, os seus direitos espontâneos de aprovação e desagrado, e uma necessária catarse colectiva, fruto dos sabores e dissabores do Rumo da História.
Os períodos de Opressão e de Distensão medem-se, pois, pelo vigor e maturidade que essa Opinião Pública manifestar.
Na sua coluna de despedida do “Diário Digital”, Clara Ferreira Alves, criatura que nunca frequentei, nem sequer sabia que escrevia, mas que, naquele panorama do Ridículo Nacional, apenas me fazia, de quando em vez, sorrir, entre as suas apalhaçadas oscilações entre o negro azeviche e o louro caniche, dizia eu, centra-se, num dado momento da sua despedida, sobre a perniciosa influência dos blogues na tradicional “Imprensa Impressa”: de acordo com ela, “A Blogosfera é um saco de gatos, que mistura o óptimo com o rasca, e (as vírgulas atrás são todas minhas) acabou por se tornar num magistério da opinião (d)os jornais”, os quais nunca foram sacos de gatos, sempre souberam recolher o óptimo, e nunca constituíram um prolongamento do magistério dos Interesses Ocultos Predominantes.

É óbvio que em todos os jornais, como em todos os "blogues", como em todos os programas de televisão de carácter rasca, -- terríveis eixos do mal --, “existe e vegeta um colunista ambicioso, ou desempregado, (as vírgulas continuam a ser minhas), ou um mero espírito ocioso e rancoroso”, que pode ser vário, como os nomes de Satã.
“Dantes, a pior desta gente praticava o onanismo literário e escrevia maus versos para a gaveta, [publicando] agora as ejaculações”, as quais deveriam continuar a ser privadas, porque o exercício da cobrição, que tantas vezes levou a que um mau texto aparecesse nas parangonas da Crítica, fruto de uma noite mais ou menos bem passada, ou de uma jantarada em lugar eminente, poderia, e deveria, pelos mais elementares deveres do Pudor, nunca ultrapassar a atmosférica fronteira do Secreto e do Invisível. Para mais, parece que, nos blogues, escancarada janela rasgada sobre o Tudo, já não existe aquela claustrofóbica sensação das escassas três ou quatro janelinhas, onde a iluminação da Crítica Impressa revelava ao profano o pouco que se fazia, e, logo, podia aspirar a existir. Parece que nos blogues, dizia eu, se fala agora abertamente de tudo e de todos, e não apenas dos amigos, dos que nos assalariaram o texto, ou dos que nos pagaram para sermos gerentes da sua irremediável Insignificância.

Compreende-se a angústia da Clarinha: com a ascensão dos “blogues” e o declínio dos jornais, anuncia-se também o fim do monopólio das palas postas nos olhos dos burros, e daqueles que tinham o exclusivo poder de as pôr.
Clara Ferreira Alves manifesta-se inquieta pelo seu Presente, e teme pelo seu Futuro. Mais acrescento eu que o que está em jogo é, sobretudo, o seu PASSADO e o de todos os que se lhe assemelham, porque a Cabala, que, durante décadas, tão habilmente geriram, se está agora a desmantelar por todos os lados.

Nos “blogues”, nada mais existe do que quem diariamente fale de tudo e todos, sem defender quaisquer sistemas que não os da prevalência do Excelente sobre o Medíocre, do Livre sobre o Encomendado, e, sobretudo, quem o faça GRATUITAMENTE, ou seja, por mero Dever Cívico, por vontade de intervir, por caturrice, ou tão-só pela amistosa gratidão de poder Partilhar.

É verdade que com os “blogues”, poderá estar em jogo o fim da Palavra Comprada, e já estar a vislumbrar-se o início da Era da Palavra Livre e Particular, o Reino da Palavra Gratuita. Talvez seja isso a Comunicação Global. Em breve, também aí se fará a separação do Trigo do Joio, e passará a vencer quem melhor escrever e mais for lido, dispensando-se as tradicionais encomendas das almas.

Penso, publico, sou lido, e logo existo. Tudo o resto é vão.

Ah, e isto não é um texto para resposta, sobretudo qualquer tipo de resposta, como dizia o Vasco Pulido Valente, que metesse “na conversa a sua célebre descrição do pôr-do-sol no Cairo.

Muito obrigado.”

sábado abr 08, 01:31:00 da tarde WEST  
Blogger estrela de papel said...

Vim visitar-te com muito carinho, como me recebes no teu profile.
Vim pelo blog da Andreia. Já vi que tens mais, mas hj fico por aqui.
Já vejo que este é recente como o meu, apercebi-me que focas temas importantes, dando-lhe um toque pessoal adorei.
Um beijo

domingo abr 23, 03:27:00 da manhã WEST  
Blogger Miguel Girassol said...

muito bom

quinta abr 27, 12:48:00 da tarde WEST  
Anonymous Dra. Daniela Mann said...

Olá! Muito lhe agradeço a sua visita tão gentil!
Olhe que eu também gosto deste espaço, que aliás é bastante agradável! Por isso mesmo é que o convidei a linkar-se ao "Páginas amar-ela". A si e a outros que estão na minha "rota de visitas", se bem que para fazer o link não é preciso convite, basta adicionar o blog e esperar a nossa validação!
Voltarei mais vezes para ver as novidades e desejo-lhe a continuação de muito sucesso com esta página super interessante!
Um abraço amigo da Dani

quarta mai 03, 12:20:00 da tarde WEST  
Blogger Telma* said...

inda não me esqueci.. só inda não deu.

sexta mai 19, 10:05:00 da tarde WEST  
Blogger Elisabeth said...

beijinho doce Alexandre
Bom fim de semana

"GOSTO DE TI"

sábado jun 03, 04:10:00 da tarde WEST  

Enviar um comentário

SE TE AGRADA ALGUM POEMA MEU, ENTÃO DEIXA UM COMENTARIO TEU...

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

CITADO POR ISABEL